Tudo Nela Brilha e Queima: Poemas de Luta e Amor

“a poesia é minha chance de ser eu mesma diante de um mundo que tanto me silencia. é minha vez de ser crua. minha arma de combate. nossa voz ecoada. nossa dor transformada. nela eu falo sobre amor, desapego, rotina, as cidades que nos atravessam, os socos no estômago que a vida dá, o coração desenfreado, a pulsação que guia as estradas, os recomeços, os dias, as noites, as madrugadas, os fins, os jeitos que a gente dá, as transições, os discos, os tropeços, as partidas, as contrapartidas, os pés firmes que insistem em voar, e tudo isso que é maluco e lindo e nos faz ser quem somos.”

“se você acha que o amor

não deve machucar

você está certa

 

para tudo que destrói

e é violento

damos o nome

de abuso”

Poesia para unir as mulheres, palavras que confortam, dão força, emocionam e nos fazem sentir menos sozinhas. Nos versos de Ryane Leão, autora de Tudo Nela Brilha e Queima, estamos seguras. Somos compreendidas, exaltadas, acolhidas. Entendidas e expostas.

No mesmo ritmo de Outros Jeitos de Usar a Boca, Ryane (do projeto Onde Jazz Meu Coração) abre-se para nós em suas páginas, tão lindas, e nos convida para conhecê-la intimamente: suas dores, perdas, pensamentos, romances, medos, conquistas… E, enquanto conhecemos Ryane, acabamos nos encontrando e nos (re)conhecendo em suas palavras, em seus sentimentos.

“até hoje ninguém foi capaz

de medir o seu tamanho

você é caos

e coração

você é oceano

e furacão

te desvendar

é para quem não teme

mulheres infinitas”

De poemas curtos a versos longos, a poetisa exalta, como ela mesma escreve, as mulheres infinitas e a resistência das mulheres. Sua obra arrepia, incomoda (daquele jeito bom), sensibiliza e fortalece. Leitura encantadora que recomendo a todas as mulheres. Como podem reparar, fiz várias marcações das partes preferidas! É aquele livro pra ter sempre por perto, pra abrir numa página ou outra e encontrar aconchego e motivação.

“não romantize

o que te rasga

o peito”

Desmorone-se, perca um pouco de si, doa, mas depois se levante, se ache, se cure. Tenha coragem de ser tempestade e caos, tenha coragem de se expor, de viver, de dizer chega, de escrever. E publicar. Obrigada, Ryane, por sua poesia, sua coragem, sua luta compartilhada. Por continuar acreditando em suas palavras e na força delas, por nos dar esse pedacinho seu para ajudar a formar nossa própria resistência. Entre as minhas, estou segura.

Nerd: Evelyn Trippo

I just have a lot of feelings, e urgência em expressá-los. Aspirante à escritora e estudante deslumbrada de Letras - Tradução. Pára-raio de nerds, exploradora de prateleiras em sebos e uma orgulhosa crazy pet lady.

Share This Post On